sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Imperfeição

Não sou perfeito e ao contrário do que essa frase possa parecer me sinto feliz com isso.

Se fosse perfeito isto significara que sozinho já sou completo, que teria que tudo que preciso, que na teriam “partes” de mim faltando ou precisando ser preenchidas.

Sou passível de melhorias, de mudanças, tanto internas como externas.

A minha imperfeição permite que exista espaço para que outras pessoas “entrem”. A minha imperfeição inclusive permite que eu possa preencher lacunas vazias em outras pessoas.

Amigo, irmão, filho
Amante, anjo, namorado
Sobrinho, tio, primo.

São só alguns dos “papéis” que posso exercer por conta desta imperfeição.

É impossível ser um filho sem pais. Um namorado sem amor, para citar apenas dois exemplos.

Na verdade não recordo de nenhum “papel” significativo sem ao menos duas pessoas envolvidas.

Nada nessa vida é perfeito. Nunca estamos certos em 100% do tempo. Nada está sempre “bom”. É necessário procurar sempre realizar o melhor, procurar um algo a mais, mas nunca cobrar a perfeição, seja dos outros, seja de nós mesmos.

Mesmo um diamante lapidado, considerado algo perfeito, se examinado minuciosamente, terá algum defeito. Por que cobrar a perfeição em um ser humano, muito mais maleável e sujeito a interferências de todo tipo?

Nenhum comentário:

Postagens populares