domingo, 28 de novembro de 2010

Atendimento prestativo

A qualidade e educação das pessoas que trabalham em qualquer estabelecimento comercial, lidando diretamente com o púbico sempre foi algo que me chamou atenção. É o grande diferencial para mim é a maneira como sou tratado ou como vejo as pessoas sendo tratadas.

Em São Paulo, infelizmente algumas vezes somos bem tratados apenas em lugares considerados caros ou então depende da forma como estamos trajados, com o carro que chegamos.

Em Brasília tive experiências bem diferentes a respeito disso. Fui a um restaurante caro, dentro do Senado, onde passei 30 minutos sofrendo um atendimento péssimo e saí sem ao menos ter conseguido uma água. O pior, o cardápio com erros de português (Pratos “Execultivos”) e ainda com restrições sobre o que poderia pedir (pratos que já tinham acabado e outros que estavam no cardápio e o garçom nem sabia que o restaurante servia).

Mas foi a única experiência ruim que senti. Com exceção de dois lugares com atendimento apenas regular, mas nos demais lugares que freqüentei me chamou atenção à qualidade do atendimento. Senti-me bem, fui bem tratado, não importando se gastei dois reais para pegar uma água ou se gastei cem reais para comprar roupas.

O ponto disso é que acredito que a preocupação em treinar seus funcionários para saber lidar com o público deveria ser essencial. Não importa se estamos falando de um fast food ou de um restaurante de alto nível.

Todos merecemos ser bem tratados, não importa onde estejamos.

Nenhum comentário:

Postagens populares