terça-feira, 17 de maio de 2016

Feche os olhos..

Depois de um dia cansativo, chega em casa não querendo nada. De mal humor, estressada e querendo que o dia acabe o quanto antes.

Mas assim que entra percebe um envelope em cima da mesa, contendo dentro dele um aparelho telefônico, um cartão de hotel com o endereço e uma carta com dizeres "mais informações, apenas no quarto do hotel".

Tenta ligar o aparelho, mas ele esta descarregado. Olha novamente para a carta e a letra lhe é familiar. Pega o seu aparelho pessoal, envia uma mensagem para quem você imagina que tenha deixado este envelope.

"Sim, fui eu quem enviei. Mas não posso falar muito mais. Apenas convidar você a arriscar-se e ir até o hotel. Só posso dizer isso".

A resposta te deixa curiosa e o cansaço é deixado de lado. Resolve ir até o endereço citado. Ao chegar lá a recepcionista te chama pelo nome, em tom de pergunta. Ao ter a resposta positiva te entrega um novo envelope e pede que abra apenas ao chegar no quarto.

Você entra no elevador e e abre o envelope o quanto antes. Dentro dele, uma bateria de celular, uma venda e um bilhete "aposto que não aguentou de ansiedade e abriu o envelope antes. Mas daqui para frente, tente seguir os pedidos. A experiência será ainda melhor".

Sorri em ser pega de surpresa e ruma até o quarto. Logo ao entrar, ao lado da porta encontra um fone e mais instruções. "Ligue o celular com a bateria que lhe foi dada. Conecte o fone e ouça as faixas na ordem escrita abaixo e se deixe levar".

Tenta acender a luz, mas estranhamente nada acontece. Pega o interfone para conversar com a recepção, mas recebe a informação que tudo está conforme combinado e que deve seguir as instruções do áudio.

Entra no quarto com cuidado, com receio de esbarrar em algo e ao mesmo tempo começa a escutar o áudio.

"Confie em mim. Deixe que seus outros sentidos te guiem. Coloque a venda e deixe que minha voz te leve"

A voz é substituída por uma música lenta, suave. Sem estímulos visuais, sua audição é ainda mais estimulada e a música te toca profundamente, te relaxando no vocal, com a melodia te acalmando.

Uma segunda música entra na sequencia, um pouco mais sensual, mais envolvente. Sente que seu corpo responde , com vontade de dançar. Como que hipnotizada pelo ritmo.

A terceira música vem na sequencia e neste ponto você não consegue conter seus movimentos. Dança. Sem pensar em passos. Sem pensar em olhares. Sem pensar em pudores. Dançando consigo mesma, dançando para si mesma.

Percebe que está sorrindo. Nem se lembra mais do cansaço ou do stress do dia.

A música termina e na sequencia escuta a voz pedindo para que caminhe calmamente até perto da cama, tateando pela parede. Calmamente faz o que lhe é pedido, sem pressa, mas ansiosa pelo que vem a seguir.

Ao chegar na cama encontra uma garrafa de vinho, uma taça e o que acredita ser uma caixa de presente. Abre o vinho e se serve. O sabor lhe é familiar, mas percebe nuances no mesmo que normalmente não repara.

Seus ouvidos foram tratados. Agora é seu paladar sendo estimulado. O simples fato de privar sua visão criando sensações intensas a você.

"Acredito que já deva ter achado o vinho.Enquanto o bebe, peço que desembrulhe seu presente e o vista. Mas agora quero que aumente o volume do celular, tire o fone e o deixe em cima da cama. Precisa de liberdade para o que vem a seguir. Ah, coloque apenas o presente. Nada mais".

Desembrulha o presente ao ritmo de mais uma música. Sente a maciez de um vestido leve ao toque. Qual o tipo de tecido? Você não consegue descrever, mas sente vontade de experimentar.

Se despe e sente a maciez do tecido sob sua pele. Nada impedindo o contato. Uma batida lenta ao fundo do próximo áudio, apenas para dar o ritmo.

"Quando foi a última vez que você percebeu suas qualidades. Teve a sensação de sentir-se desejada. De sentir-se sensual. De gostar do seu próprio corpo?"

"Permita-se sentir seu corpo. Sinta como ele arrepia ao leve toque de um tecido leve. Perceba como seu corpo reage. Deixe que suas mãos passeiem pelo seu corpo. Sinta-se. Orgulhe-se do seu corpo. De quem você é. Sinta-se bem consigo mesma".

O tato agora leva você a massagear, tocar seu corpo. Tocando, acariciando. Sentindo-se excitada, estimulando a si mesma com a pele extremamente sensível e o som de fundo dando o toque perfeito.

O faz sem pudor. Ligada por completa a si mesma. Como se estivesse em conexão plena pela primeira vez. E de forma natural chega a um orgasmo demorado e profundo, que te obriga a deitar na cama e respirar fundo.

Coração acelerado, procurando recuperar o fôlego, até que o último sentido é estimulado. Sente um perfume conhecido próximo de ti.

A venda é retirada, apenas para que você tenha a confirmação da voz que até então estava te guiando. Uma troca de olhares e um beijo antes que você diga qualquer palavra.

Venda recolocada em seus olhos.

"Agora que já sabe quem que está aqui, não tem motivo para estimular novamente a visão. Mas até agora a ideia foi estimular individualmente cada um dos seus sentidos. Daqui para frente, esteja preparada para receber estímulos mais complexos. De forma a mexer com mais de um sentido ao mesmo tempo"....

=====================================================================
Texto a ser continuado? Talvez.....









Nenhum comentário:

Postagens populares