segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Decisões difíceis

A vida é formada de momentos complicados. Vivencio muitas coisas e penso como as pessoas têm dificuldade em tomar decisões complicadas.

Infelizmente a vida nos coloca em situações desagradáveis. Às vezes nos obriga a largar algo que gostamos, a desistir de um sonho, de uma meta , ou de alguém que julgamos importante.

Acontece que algumas vezes isso ocorre por medo, por receio. Dos mais variados tipos. Medo de perder algo, medo de não conseguir de volta, medo de não conseguir algo melhor, medo de sair da situação de desconforto.

Manter-se no mesmo trabalho com medo de não conseguir algo melhor, mesmo sofrendo com o ambiente, com problemas, com stress.

Manter um casamento com medo de como os filhos ou familiares vão reagir.

Usamos muitas dessas situações como fuga. Com medo de sair da zona de conforto, com medo de nos arrependermos de algo e não conseguir voltar atrás.

Mas a vida é assim. Feita de riscos, de atitudes que precisamos tomar, acreditando que seja a melhor daquele momento e esperar que dê certo. Apostamos em muitas coisas que não é realidade, às vezes chegamos a viver uma mentira.

Ou então deixamos de resolver algo e acabamos deixando de conseguir algo melhor e perdendo o que temos. Já magoei pessoas por conta disso, terminando um relacionamento e tendo que ser firme ao ver uma pessoa com quem convivi brigando comigo, com raiva, ou chorando. Tudo porque a decisão de terminar, a insatisfação era a minha e a outra pessoa ainda queria continuar.

Muitas dessas decisões tomei por achar que não estava me dedicando ao relacionamento e optei por terminar antes de machucar a pessoa, antes de uma traição, antes de deixar o clima insustentável.

Também já ouvi situações de mudança de emprego, onde um determinado funcionário jogou aberto com seu superior, optou por arriscar-se num novo emprego, que não deu certo e quando voltou a conversar, conseguiu recuperar o antigo emprego e consciente que fez o melhor para si.

Não podemos ter medo de arriscar. E principalmente, não devemos nos enganar. Temos que saber que existem pessoas que realmente se importam conosco. A tal ponto que abdicam da sua felicidade, ou mesmo sofrendo, mesmo magoadas, torcem por nós.

Vai além do gostar de qualidade e defeitos. Envolve respeito, admiração. Envolve o desapego para que a pessoa tome o rumo que achar melhor. Esconder lágrimas e problemas, não demonstrar sentimentos ruins.

Pode existir algo que doa mais do que deixar a pessoa amada ir embora? Mas isso é algo que um sentimento de amor sincero é capaz de fazer. É forte o suficiente para deixar que a pessoa amada tome seu rumo, possa decidir sua vida e aceitar a decisão que ela tomar, seja ela qual for, mesmo que seja a de continuar sua vida ao lado de outra pessoa.

Em alguns momentos, é necessário que sejamos egoístas. Até para que possamos nos resolver, cuidar de prioridades e só então poder ter forças para resolver outras coisas que sejam importantes, mas que ao lado de outros assuntos, parecem impossíveis de resolver.

Nenhum comentário:

Postagens populares