terça-feira, 24 de maio de 2011

Mude a si mesmo

Estou lendo um livro interessante a respeito de liderança (O monge e o executivo). Ainda não o terminei, mas já pude perceber algumas atitudes que preciso mudar, mas principalmente pude perceber o quanto mudanças de nossa parte podem nos dar melhor qualidade de vida.


No último ano e neste ano passei por situações complicadas e desgastantes na minha vida. Discutia facilmente, reclamava de pessoas com quem convivia principalmente no lado profissional. Só que apenas reclamar é fácil.

E hoje me sinto um pouco mais em paz. Por perceber que fiz o meu melhor para resolver os problemas, para tentar fazer tudo dar certo. Mas existem coisas que não dependem apenas de nós mesmos. Confesso que depois do furacão passar é confortador olhar para trás e perceber que minha parte foi feita. Claro, não podemos julgar os motivos das outras pessoas. Não se trata de achar “culpados” ou dizer que “X” ou “Y” está errado. Trata-se de direcionar suas forças enquanto achar válido. A partir do momento que nada mais pode ser feito o assunto deve ser encerrado.

Percebi inclusive que ao descobrir o que eu estava fazendo de errado pude mudar minha postura principalmente no trabalho. Pessoas com quem eu não conseguia conviver, que me causavam stress hoje estão mais amigáveis. Não porque a pessoa mudou. Mas sim porque eu mudei minha postura. Tentei ser mais acessível, corrigir erros que cometia. A minha mudança de postura desencadeou a postura em pessoas que eu imaginava que nunca poderia conviver. Além disso, outras mudanças aconteceram. Valorização do trabalho, possibilidades de mudanças que eu não imaginava que pudessem ocorrer tão cedo.

Ficamos tanto tempo reclamando da vida, querendo que as outras pessoas mudem e deixamos de encarar nossos próprios erros. Queremos que os outros se adaptem, que os outros sejam como queremos, mas não estamos dispostos a mudar como somos.

Toda atitude gera uma consequência. Que tal então não esperar tanto dos outros? Que tal causar as mudanças começando por nós mesmos?

Nenhum comentário:

Postagens populares