terça-feira, 10 de maio de 2011

Agradar as pessoas


Neste fim de semana passei por situações que algum tempo não vivia. O fato de ter que agradar pessoas. No caso especifico agradar a um publico de casa noturna.

O trabalho de DJ não é fácil. Tocar um ritmo (Zouk) que conta com várias vertentes é complicado porque é impossível agradar a todos. Para “ajudar” tive o adicional de tocar no começo da balada, um dos horários mais complicados para um DJ. Ter que esquentar a pista, manter a galera dançando, mas sem poder tocar os “hits” logo de cara para não queimar “cartuchos” para o resto da noite, nem repertório dos demais DJs.

Na sexta confesso que me perdi um pouco e não gostei do resultado, apesar de entregar a pista em uma condição razoável para o DJ residente da noite. Tanto que o feedback não foi totalmente positivo apesar de elogios de pessoas que estavam na pista. No sábado a situação foi diferente. Apesar de tocar desde o começo da noite senti a energia da pista, mostrando que estava no caminho certo, mantendo a pista cheia logo no começo da balada, sem apelar para “trunfos no set”. Claro, algumas pessoas comentaram que adoraram o set e outras pontuaram a respeito de uma música que não gostaram. Inclusive duvidaram que fosse uma música do meu set, porque “conhecem” meu estilo.

Mas um DJ precisa ser meio camaleão, ainda mais quando se trata de ritmos de dança de salão ou no meu caso mais especifico focado em um estilo com muitas variações. Precisa entender o que a pista está querendo e tentar seguir um estilo que tente agradar ao máximo de pessoas possíveis. Desde aquelas que nunca ouviram falar do Zouk até aquelas que curtem um estilo diferente sem esquecer-se dos que preferem algo mais tradicional.

Por isso que precisa ser tratado como algo profissional e não como um hobby. Saber lidar com os elogios e criticas. Levar em conta comentários de pessoas que tem um conhecimento mais apurado, com comentários construtivos e saber valorizar seu próprio trabalho, já que nunca terá 100% de aprovação.

O mesmo vale para outras atividades que envolvam interação com o público ou até em algo mais pessoal (uma relação a dois). Preocupe-se em agradar, em fazer seu melhor e não cobre de si mesmo (a) se a pessoa não gostar de tudo, não valorizar o que fez. Se você fez o seu melhor isto deve ser suficiente para sua satisfação pessoal. Mas saiba reconhecer o que fez. Não menospreze nem valorize demais suas atitudes. Mensure da forma correta para saber se fez tudo que podia ou se poderia ter se dedicado “um pouquinho mais”.

Nenhum comentário:

Postagens populares