sábado, 2 de abril de 2011

Cenário perfeito


Um dia como outro qualquer. Minha mente viaja em pensamentos diversos e quando percebo já anoiteceu.
Uma noite interessante. O céu limpo, sem estrelas.
Encosto-me em uma árvore, procurando não pensar em nada. De frente visualizo uma lagoa e fico apenas admirando a cena.
A lua brilha de uma forma intensa, o reflexo dela na água da lagoa traz uma sensação diferente, de calma, de tranqüilidade.
Ao fundo, as luzes da cidade ajudam a emoldurar este cenário.
Concentro-me um pouco no reflexo na água. Percebo que em volta da Lua parece existir outro brilho, parecido com o brilho que o Sol emana.
A principio a visão parece estranha, mas a sensação de bem estar, de paz, me fazem não pensar com a razão, apenas sentir.
Antes que eu possa pensar em algo mais sinto dedos delicados tocando minha face, não antes de ter meus olhos fechados.
Uma uva é oferecida aos meus lábios e prontamente aceita. Uma segunda também me é oferecida, mas ao tentar morde-la a mesma é retirada e substituída por lábios macios que tocam os meus, lentamente e de forma demorada, como que querendo achar o melhor encaixe, a melhor maneira de tocá-los.
Sussurra no meu ouvido, pedindo para que meus olhos permaneçam fechados, pedindo apenas que deixe meus outros sentidos me guiarem. Aceno com a cabeça e deixo que me guie, que conduza as ações.
Sinto minha camiseta sendo retirada e você vindo para cima de mim. Não de uma forma vulgar, apressada ou selvagem. Ao contrário, da mesma forma que com os beijos, procura encaixar seu corpo ao meu. Aproxima-se de forma que sinto seu coração bater forte junto ao meu.
Mesmo com os olhos fechados te sinto, te visualizo. Mesmo com os olhos fechados a cena do luar, da lagoa, do brilho que envolve a lua se torna clara para mim.
Concentrando-me um pouco mais, ao te abraçar, sinto como se a própria lua estivesse a te envolver.
Mais um beijo apaixonado e nossos corpos se entregam. Fazemos amor de uma forma que apenas duas pessoas que realmente se gostam poderiam fazer.
Adormecemos juntos, com você deitada ao meu peito. Horas depois acordo com o nascer do sol. Acaricio seus cabelos e reparo na lagoa. Dessa vez o reflexo do sol parece suavizado, como se a lua estivesse dentro do sol.
Um cenário perfeito, com uma noite que se encerra e um dia que começa da forma mais maravilhosa possível.

Um comentário:

Maiara disse...

Ahhhh entendi!!! Primeiro de Abril, né?! Dia da mentira... Rsrs
Falando sério, parabéns! Você escreve muito bem!
Sucesso pra você!!!
BJU

Postagens populares