quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Não me toque

Um quarto de hotel, apenas nós dois. Você me olha profundamente e diz com uma voz sexy, mas firme:
- Não me toque.

Como chegamos aqui?

Uma convivência a certa distância, com pontos e lugares em comum. Reparando em você, te notando, te admirando, mas a timidez impede, atrapalha.

Vendo ainda as pessoas que te rodeiam, te paqueram, que convivem com você. E vejo que você é um sonho impossível. Pelo menos é o que eu achava.

Mudanças de visual, roupas mais sensuais. E eu sempre olhando de longe.

Eis que meus serviços profissionais são solicitados. Alguém que entra em contato comigo pedindo por um serviço rotineiro para mim, me passando um endereço para mais detalhes.

Ao chegar no endereço lá está você. Linda como sempre, com cabelos molhados, como se tivesse saído do banho recentemente.

Um perfume doce e gostoso, mas me foco no trabalho em si, no que precisa e no que eu posso oferecer.

Confesso que em determinados momentos tenho a impressão de estar sendo analisado por você, mas logo ignoro o pensamento sabendo que seria muita pretensão da minha parte.

Termina a reunião e me despeço, com a cabeça a mil, mas pensando apenas em como atender os pedidos solicitados.

Chega a data do trabalho pedido e tudo acontece sem problemas. Realizo meu trabalho e algumas vezes passa e me pergunta se preciso de algo, se quero tomar algo.

Mas ao contrário de outras vezes, desta vez meus olhares não se focam em você. Estou trabalhando e ali desligo.

Uma outra mulher se aproxima e conversa comigo. Assuntos irrelevantes, é verdade, mas parte do trabalho é ser cordial.

Dou atenção, converso educadamente, mas focado no trabalho.

O evento começa a chegar a seu final e começo a relaxar. Termino o trabalho, guardo meu material  e resolvo tomar algo, aproveitar a vista do lugar.

A mesma mulher que puxou papo agora aparece e começa a perguntar mais detalhes sobre mim, sobre minha vida. Sem ser grosso, olho para o relógio e peço licença para me retirar.

Neste momento você chega andando firme. Um olhar diferente. Brava, nervosa com algo, perguntando se a conversa estava boa. Desconverso e comento que preciso embora.

Ambiente vazio, pede que te acompanhe até uma sala para receber o meu pagamento.

Sento no sofá e percebo que o som ambiente é de músicas que gosto. Reparo que a decoração da sala possui elementos do meu agrado.

Em uma das mesas uma seleção de Dvds e jogos que sou fanático. Em outra livros que já li e reli várias vezes.

- Fiz a lição de casa direitinho?

Você entra, como se fosse possível ainda mais linda e me deixa sem palavras. Com voz irritada pergunta o que mais precisa fazer para me conquistar.

E começa a falar de como sempre reparou em mim, em como sempre quis estar perto e como fez para se aproximar de mim, conhecer meus gostos e desejos e em como isso foi te deixando ainda mais interessada em mim.

E neste ponto pergunto se leu um texto específico do meu blog. Um texto onde falava sobre você.  E neste momento você sorri, dizendo que tinha medo da pessoa ao qual este texto estava direcionado, mas com esperanças que você fosse esta mulher.

Seu olhar muda e lentamente você começa a se despir. Ficando apenas de lingerie e meu olhar fixo deixa claro que acertou na escolha.

E voltamos ao ponto onde ordena que não te toque, enquanto você desfila e se insinua para mim. O corpo que tanto desejei a metros de distância e seu olhar denunciando todo seu desejo por mim.

Com a diferença que desta vez não existe dúvidas sobre um desejar o outro. Agora é saber até onde este desejo, até onde vamos segurar para nos entregar de uma vez.

Uma vez que achávamos impossível de acontecer e que agora é questão de tempo...


Nenhum comentário:

Postagens populares