quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Perto ou longe?

A música começa, lenta, sensual e naturalmente envolvente.

Ritmo delicioso, melodia ímpar. E o convite para a dança. Sem segundas intenções, sem pensar em nada.

Sem forçar, o encaixe natural, a proximidade e uma confiança em estar perto um do outro.

A pista não está cheia o que só ajuda.

Movimentos vão acontecendo de forma natural, a sintonia ficando cada vez mais apurada. Alguém está olhando? Sinceramente não sei e nem me importo.

Me permito sorrir em alguns momentos, por poder curtir a dança, poder me entregar e encontrar a mesma entrega do outro lado. E cada segundo da música tornando-se único.

Sensualidade, musicalidade, ritmo e poesia. Tudo acontecendo ao mesmo tempo.

A pista parece enorme. O local parece deserto e a música ultrapassa os ouvidos e toca a alma.

Estando longe de tudo, longe de todos. Mas ao mesmo tempo extremamente perto da pessoa que está ali, dançando conosco. Curtindo este momento da mesma forma.

E naquele momento , permito fechar os olhos e sentir que dançamos como se fossemos apenas um.

Ao término da música, um agradecimento, mas sabendo que ali não foi "apenas" mais uma música. Foi algo que tocou na alma.

Uma dança praticamente perfeita, pelo menos para os dois envolvidos. Daquele tipo que muitos sonham em ter um dia e que outros nem conseguem imaginar como seja uma experiência tão profunda. Tão ímpar....

Postagens populares