quinta-feira, 1 de março de 2012

Conceda-me uma dança


É tudo que te peço. Apenas uma dança.

O pedido pode parecer simples, corriqueiro. Mas quero algo diferente desta vez.

Que primeiramente você confie em mim. Ignore o que está ao redor. Quem possa estar no mesmo ambiente. 

Pense, ou melhor, apenas sinta a música, sinta minha condução.

Uma dança mais tranquila. Sem muitos passos, apenas dançando bem próximos, bem colados.

Mesmo que seja uma música que já conheça, que já tenha dançado várias e várias vezes, escute-a com mais atenção, sinta a melodia, sinta as notas musicais.

Permita que sua energia conecte-se com a minha. Deixe-se levar. Deixe-se envolver.

Sinta o clima de flerte. Permita-se sentir a vontade de estar perto, a vontade de que esta música não se acabe. 

Sinta-se a vontade para retribuir esta mesma energia, para também me envolver, para também mostrar que você deseja que eu fique por perto.

À medida que a música aproxima-se do seu final, deixar que os corpos se aproximem de forma que os corações consigam escutar um ao outro e procurar bater no mesmo ritmo. O encaixe de mãos, o rosto colado.

Os olhos fechados. O pensamento “desligado”. Sem imaginar, sem criar, sem analisar. Apenas sentindo.

Terminada a música, apenas te peço mais uma coisa. Que me deixei olhar nos seus olhos , reparar em seu sorriso, em sua expressão e poder ter a certeza que tivemos uma experiência única, ímpar.

Guardar esta sensação para sempre. Mesmo que nunca mais eu possa voltar a dançar com você. Mesmo que eu nunca mais dance com você.

Apenas para ter a certeza que uma vez, com você, eu pude dançar uma dança da forma mais intensa e pura que ela pode ser dançada......

Nenhum comentário:

Postagens populares