domingo, 13 de novembro de 2011

Online sim, isolado não.

Já faz algum tempo que Internet e redes sociais fazem parte da minha vida. Pude me aproximar e conhecer pessoas de outras cidades e países.

Pude conhecer melhor (e me surpreender positivamente) com pessoas que mal conhecia e que pude mudar de opinião depois de algum contato.

Descobrir pessoas com gostos em comum. Rever pessoas do passado e estreitar ainda mais laços de amizade,  de afeto e até de amor.

Situações, lugares e pessoas que seriam improváveis no meu "dia a dia".

Confesso que hoje me considero viciado nisso tudo.  Lembro inclusive que não tinha a minima vontade de ter uma conta no Facebook e me "rendi" por conta do foco em contatos relacionados a minha profissão de DJ, com pessoas que eu só poderia manter o contato desta forma.

Mas procuro dosar isso. Fazer tudo da forma correta. E principalmente evitar que isto me isole do mundo. Claro, existem ocasiões onde o que desejo é isto mesmo. Onde quero ficar no meu quarto, apenas ouvindo um som, assistindo TV e no máximo conversando com pessoas próximas de forma virtual.

Confesso também que sou mais um com o costume de ficar acessando Twitter e Facebook pelo celular, passando praticamente 24 horas do dia conectado, acessando até em baladas. Algumas para divulgação, pelo lado profissional, outras vezes para postar algo ou mesmo falar com alguém.

E este é o problema. Podemos com isso estar focados em um mundo virtual e deixar de lado o que acontece ao nosso redor. Dar atenção para alguém que pode nem existir de verdade e deixar de dar valor , atenção e carinho para alguém que está do nosso lado.

Percebo o quanto é raro as pessoas se falarem por telefone. Marcar de encontrar-se pessoalmente apenas para bater papo, para matar saudades, para passar algum tempo juntas.

Eu mesmo tento me policiar,  mas já conheci pessoas onde a forma de manter o contato foi questionar "você  tem Facebook"?

Talvez porque o contato online seja mais "fácil". Talvez porque o fato desta conversa virtual ser mais prática.

Talvez pelo fato que pegar o telefone e ligar para alguém praticamente nos "obriga" a focar naquela pessoa. Ao passo que na Internet podemos estar  fazendo "N" coisas ao mesmo tempo.

Sair da zona de conforto, mesmo para falar com alguém especial é complicado. Não precisa nem ir tão longe. Parar para escrever uma mensagem , seja um e-mail ou até SMS é algo que percebo ser raro.

Nesta parte penso que sou um pouco diferente. Reparem nas mensagens que vocês recebem. E depois reparem nas mensagens que enviam. E vejam quantas delas passam de 3,4 palavras. O simples fato de procurar "abreviar" tudo mostra uma "preguiça", uma "rapidez" desnecessária. Muitas vezes desenvolver uma mensagem, escrever uma frase mais elaborada faz toda a diferença para o dia de alguém. Mostra que dedicamos parte de nosso tempo para aquela pessoa. Não importa se foi para uma declaração de amor ou apenas para dizer "não pegue o caminho X porque o transito está parado".

Hoje o que mais acontece é "curtir" e "compartilhar". E  me decepciono com ambos. Como alguém pode por exemplo "curtir" uma notícia ruim? E o fato de compartilhar informações faz com que cada vez menos as pessoas parem para pensar , para refletir, para ter opinião própria.

Ninguém sabe tudo sobre tudo em todos os momentos.

O mundo virtual me ajuda a dar carinho, a mostrar saudade, a cuidar de quem eu gosto. Mas muitas vezes isso só ocorre porque a pessoa não pode estar por perto naquele momento, por motivos variados. Mas quase sempre a vontade seria de realizar as mesmas atitudes estando ao lado da pessoa. Seja "cutucando" a mesma, seja apenas dando um abraço ou um ombro amigo.

Para expor isso através de imagem estou passando um video curto, que mostra o quanto ficar online pode fazer com que a vida passe pelos nossos olhos e nem possamos nos dar conta...

Nenhum comentário:

Postagens populares