quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Perder o controle

Estou acostumado e gosto da sensação de estar no comando, de liderar, de ter o controle da situação.

Mas hoje queria poder me desligar. Não ter que pensar em nada, não ter que decidir nada.

Ser “seqüestrado”, de certa forma ser “dominado” ou até “usado”.  Claro que é algo que não poderia ser com qualquer uma. Não quero uma estranha, mas sim alguém com quem eu já tivesse afinidade, carinho e sentimentos bons.

De preferência até alguém “acostumada” a uma situação mais passiva, uma mulher que normalmente deixasse que eu estivesse no controle da situação e que me surpreendesse com esta postura, inclusive fazendo coisas que eu nunca imaginaria que ela fizesse antes, superando limites, desafiando medos.

Uma mulher que mostrasse para mim através destas atitudes o quanto deseja estar comigo, o quanto minha presença é desejada.

Não importa se tudo é planejado ou se as ações são decididas na hora. Apenas está claro que a minha participação se resume a minha presença física.

Não importa se a vontade dela é apenas me levar para comer e passar algum tempo em minha companhia ou se quer passar a noite ou um fim de semana ao meu lado.

Não importa se ela quer apenas ver meu sorriso, se quer provar meus lábios ou se quer meu corpo da forma mais intensa que seja possível querer.

Por um intervalo de tempo quero me desligar por completo e deixar de lado minha postura dominante, não ser nem ao menos consultado para decidir algo.

Não estou no controle. Não decido nada. Por um intervalo de tempo indefinido será ela que irá tomar todas as decisões, ela que irá tomar o controle da situação.

Nenhum comentário:

Postagens populares