quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Amar dói

Amar nunca é simples. Sempre envolve vários fatores, dificilmente tudo corre bem em todos os momentos.

E alguns desses momentos nos fazem pensar, não são fáceis de ignorar e podemos acabar desistindo desse amor. É onde conseguimos ver o poder do amor.

Penso em todos os tipos de amores e vejo muito disso. Como um pai e uma mãe podem continuar amando um flho que os decepciona tanto, que tanto os machuca, que tanto pode magoar e mesmo assim o amor continua. Ou um filho que vê um pai ou mãe que não lhe dá carinho, atenção e mesmo assim o amor continua.

Amigos que se amam, que se gostam de verdade, mas que por N motivos acabam tendo discussões, divergem das opiniões e têm todos os motivos para ficarem longe um do outro...para depois rever os conceitos e continuarem amigos.

Mas a situação nesse caso já muda. Já é um amor que depende de duas pessoas.

Já ouvi situações de casais onde um dos dois sente um amor tão forte, tão intenso, que tenta sozinho(a) manter a relação, Mas é dificil e não sei até que ponto é algo que seja saudavel.

O "correto" é que o amor seja forte e intenso pela junção dos dois. Que não precise ser "individual". Amar sozinho dói, machuca, cria situações que podem bagunçar muito a cabeça de alguém.

Amar dói. Amar é dificil.

Nenhum comentário:

Postagens populares