quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Corpo apenas como instrumento

Amo a dança. Um amor sincero. E sei que outros compartilham deste mesmo sentimento.

Poucos, é verdade, usam a dança com segundas intenções, em favorecimento próprio. São os mesmos que não entendem o que sinto pela dança. Do envolvimento, da paixão irrestrita.

O corpo é meu instrumento de dança, tendo minha alma como condutor.

Alma que permite me envolver, seja numa dança a dois, seja dançando sozinho ou apenas escutando a música e em pensamentos dançando, criando passos ou me deixando levar pela melodia, numa viagem sem limites.

E "apenas" preciso da minha alma para ter este envolvimento. Qualquer um pode dançar, mesmo que esta pessoa tenha restrições físicas.

Porque a dança de verdade não é sentida, não apenas "dançada", vai muito além de passos.

Prenda meu corpo, imponha limites. De nada irá adiantar.

Basta que as batidas do meu coração ditem o ritmo e que eu deixe a minha alma guiar meus passos.....

Nenhum comentário:

Postagens populares