domingo, 29 de agosto de 2010

Alentos temporários.

Existem coisas que fazemos na vida, que nos dão um alento temporário, suprem uma carência, nos dão uma paz, mas é algo muito superficial. Algo que nos passa a impressão de felicidade, paz, mas que passa rapidamente. Dançar, beber, sair para passear, ter o ego massageado, entre outras atitudes.

Mas depois que as horas passam, essa sensação de "euforia" se vai e o vazio parece que só aumenta. E faz a gente sentir falta de pequenas atitudes. Faz sentir falta das mãos entrelaçadas no pescoço, da pessoa amada pendurada, com aquela cara de dengo, pedindo atenção colo, carinho, querendo que tudo mais não tenha importância.

A vontade de sentir o olhar. Aquele olhar apaixonado, carregado de carinho, de sentimentos bons. Sensações e atitudes que podem ser pequenas, mas que marcam. E que fazem a vida muito mais leve, muito mais tranquila. Ocupam nossas memórias e fazem com que a vida possa ser vivida.

Mas a falta dessas boas sensações abre um buraco no coração, uma ferida que machuca, uma dor constante que é dificil de lidar.

Nenhum comentário:

Postagens populares