segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Sem pudor

Eu e você, um de frente para o outro . Longe do alcance do toque, mas com visão clara um do outro.

Troca de olhares. Carinho, olhar apaixonado? Não dessa vez.

Desta vez a intenção é outra. E mais importante, ela é mútua.

Desejo. Carnal. Puro. Sem joguinhos, sem charme.

Por quanto tempo apenas na troca de olhares? Provavelmente segundos, até que um corra na direção do outro.

Puxar você forte pela cintura e receber em troca recebe suas unhas arranhando minhas costas.

Gemidos abafados pela busca ansiosa dos lábios , em um beijo quente e carregado de tensão e tesão.

De dois corpos querendo o calor um do outro.

Beijos nada delicados. Fortes, com mordidas acompanhadas de mãos que não se preocupam em despir o corpo alheio com calma.

Quem estiver com roupa que gosta se deu mal. Porque os trajes são arrancados. Botões, fivelas, zíper? Tudo atrapalha. Tudo precisa ser tirado o quanto antes.

Corpos nus. Pausa para o olhar completo. Quase como dois predadores pensando no próximo movimento, no próximo ataque.

Grudar um no outro e procurar o máximo do prazer, individual e mútuo. Mordidas, apertos, arranhões? Liberados, fazem parte da liberdade conquistada e concedida.

Gemidos abafados, gritos altos? Permitidos.

Não dizer nada. Falar tudo? Liberado também

Toques , carícias, explorando o corpo? Parte do pacote.

O tempo que esta relação vai durar? Sei lá. O relógio foi lançado longe faz tempo.

O que importa são as duas pessoas envolvidas. Corpos quentes , suados.

Mas acima de tudo, livres

Livres para se entregar um ao outro. Curtir em sua plenitude.

Tocando o f*-se para quem poderia julgar. Nessa gostosa intensidade e cumplicidade somos livres um com o outro e principalmente temos a oportunidade de sermos livres para nós mesmos.

Nenhum comentário:

Postagens populares