terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Medo do amor

Tenho medo do amor.
Mas não é o medo do sentimento. Não é o medo de sofrer, de ser magoado.

É o medo de não amar mais. Do coração deixar de se apaixonar. Medo de agir com a razão, quando as atitudes devem ser tomadas com a emoção.

Medo de me preocupar com o que a outra pessoa sente. De esperar uma prova do outro lado. De ter receio de ir em frente , ir de acordo com minhas vontades, desejos e sentimentos.

Porque amar é ter a certeza de nosso sentimento apenas. E encarar essa "dúvida" sem medo, sem receio.

Um casal feliz não é aquele onde um puxa o outro. Mas sim quando um anda ao lado do outro. E para isso cada um precisa andar com suas próprias pernas. Ter confiança em suas atitudes.

Tenho medo do amor.

Medo de não ter aquele frio na barriga de ansiedade por reencontrar uma pessoa querida. De deixar de sorrir ao receber uma mensagem sem motivo algum.

De ter olhares de cumplicidade, com olhares que se cruzam e brilham.

De rir de brincadeiras bobas, gargalhar, brincar. De ter momentos que apenas os dois entendam.

De dormir abraçadinho, de passar uma tarde deitado na cama, apenas de mãos dadas, apenas querendo o contato, sentir o contato um do outro.

De curtir momentos maliciosos, quase "proibidos". Curtir momentos a dois onde tudo parece perfeito.
De saber rir quando tudo minuciosamente planejado dá errado e de aproveitar momentos inesperados que se tornam perfeitos.

Medo de deixar de viver sentimentos bons, que fazem com que a vida valha a pena. Que compense toda a tristeza, todo sofrimento e frustração que somos obrigados a encarar no dia a dia

Tenho medo do amor.
Medo que as pessoas deixem de acreditar nele.........

Nenhum comentário:

Postagens populares