sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A emoção de estar atrás das pickups

Adoro dançar. sou uma daquelas pessoas que facilmente abre uma pista e se deixar fecha a mesma, só saindo quando o som acaba. É algo que amo, que me faz muito bem.

Quando comecei a ter oportunidades como DJ não foram poucas às vezes onde deixei o som rolando e ia dançar, voltando correndo para soltar a música seguinte. Mas depois de algum tempo comecei a encarar o lado de estar na cabine de forma profissional. Hoje passo meu set inteiro tocando, quando muito vou dançar apenas na última música do set.

E algumas pessoas me questionam, tentam entender como eu consigo ficar ali na cabine e segurar a vontade de dançar. Explico que hoje a situação é muito diferente.

Para quem está ali, na cabine, apenas comandando a pista, é algo gratificante ver a pista "responder aos seus comandos". Poder tocar e ver a pista curtindo. Com o pessoal dançando porque realmente está gostando do som. Sentir a energia na pista e traduzir a mesma nos CDJs , no notebook ou qualquer outra forma de reproduzir sons.

Passei por experiências complicadas. Tocar em pistas onde senti que faltou algo, onde não senti a pista "junto comigo". Mas também tive experiências ótimas, tanto em baladas lotadas como em pistas com um público menor, mas com todos presentes curtindo o som.

É uma sensação de bem estar dificil de explicar. Nesta última quarta-feira a energia do público me tocou de uma forma que eu pude sorrir várias vezes durante meu set, pude me emocionar discotecando.

E depois receber elogios sobre meu som, de diversas pessoas foi ainda mais gratificante.

Ter o público ao seu lado é uma daquelas sensações que não tem preço. Obrigado a todos que comparecer e curtem meus sets e comentam, tanto com elogios como com criticas construtivas.

Nenhum comentário:

Postagens populares