terça-feira, 7 de junho de 2011

Dia dos namorados

Pelo segundo ano devo passar esta data sozinho. Várias sensações e sentimentos passam pela cabeça.

Primeiro de tudo de todas as datas comemorativas acredito que esta seja a “menos comercial”. Digo isto porque escolhemos a pessoa com quem nos relacionamos. Podemos estar infelizes, a relação pode não ser perfeita. Pode até existir infidelidade de qualquer um dos lados. Mas nós escolhemos estar ou não com outra pessoa.

E um dos sentimentos que passa pela minha cabeça é de frustração. Ouço e vejo alguns comentários que muitas vezes são utilizados para mascarar algo, para “auto-proteção”.

Claro, existem pessoas que lidam bem com o fato de não estar em um relacionamento, ou mesmo pro achar que não é hora de se envolver com alguém. Mas para mim alguns comentários soam como uma fuga, com as pessoas expondo um sentimento que muitas vezes não condiz com a realidade.

Confesso que sinto falta demais de ter alguém ao lado. Só para ligar a noite e saber como foi o dia ou mesmo para durante o dia mandar uma mensagem só para dizer que estou com saudades.  Mas não quero uma pessoa qualquer. Não quero alguém que deseje demais estar comigo, mas sem a recíproca do meu lado.   

Prefiro estar só a magoar alguém que possa ter sentimentos fortes por mim.

Medo também se faz presente. Não o medo de ficar sozinho, mas sim o fato de estar sozinho e receber algumas propostas que podem mudar minha vida por completo. Que podem fazer com que eu comece minha vida praticamente do zero. A “vantagem” de não ter alguém (namorada, esposa ou mesmo filhos) é que a decisão é única e exclusivamente minha.  Posso até consultar amigos e pessoas próximas, mas seria totalmente diferente se estivesse emocionalmente envolvido com alguém.

Também passam sentimentos de tristeza. Não por minha causa, mas sim por conta de pessoas próximas que terminaram um relacionamento recentemente. Amigos de verdade, pessoas boas que por suas razões optaram por seguir caminhos diferentes. Mas uma parte de mim torce para que eles possam se acertar e serem felizes juntos novamente.

Esta tristeza só acontece porque quero o bem às pessoas que considero especiais. Da mesma forma também torço para que outros relacionamentos dêem certo e pessoas que considero sejam felizes. E também para que outras pessoas encontrem alguém especial em suas vidas.

Mas também existe espaço para sentimentos de felicidade, por poder ver algumas pessoas próximas felizes em seus relacionamentos, alguns até começando a constituir uma nova família juntos.

Não sei como vou me sentir quando o dia 12 chegar. Quais as sensações que passarão pela minha cabeça no momento. Hoje tento ocupar minha mente com outras atividades.  Tentando deixar o lado profissional ser prioridade e acertar este ponto. Mas muitas vezes o lado emocional “grita”. Não dá para negar que sinto falta de me sentir apaixonado por alguém, de estar amando. De poder cuidar e ser cuidado. De amar intensamente, de poder entregar-se a alguém, de corpo e alma.

Nenhum comentário:

Postagens populares