sexta-feira, 17 de março de 2017

Presente de Natal – parte final

Vai em direção a porta, as pernas levemente bambas. Ao abrir a mesma encontra o gerente do hotel.
- Espero que a senhorita esteja aproveitando bem sua estada conosco. Ao que parece poderia ter sido um pouco mais, digamos, proveitosa, mas acredito que esteja curtindo.
Você responde que está aproveitando bem os momentos, mas ansiosa, pergunta a ele quem é o responsável por isso.
- Sinto, mas ainda não estou autorizado a dizer isso. Mas por hora, tenho mais um bilhete direcionado a você.

Agradece e ansiosa já lê o bilhete.

“Tome um demorado e relaxante banho. Após isso, ligue para o número que está no final do bilhete e ao atender a ligação, apenas diga que está pronta. Desligue logo em seguida e deixe sua porta entreaberta".

Depois de tudo que está acontecendo, você se sente mais à vontade, mais confiante e isso faz com que nem pense, resolve deixar de lado estar no controle da situação de vez. Depois de muito tempo, consegue sentir uma sensação tranquila. Enquanto está no banho fica tentando lembrar de quando esteve tão tranquila. Sem preocupações, com a mente livre, relaxada.

No bilhete não tinha nenhuma outra orientação sobre onde ficar. Então após efetuar a ligação, você passeia pelo quarto, inquieta, esperando a próxima surpresa. Ao ouvir passos chegando na porta sua respiração muda. E sorri ao perceber a entrada de várias pessoas que parecem vindas de um salão de beleza ou algo parecido. Mal consegue ouvir seus pensamentos por conta do barulho que toma conta do seu quarto. Uma cadeira aparece e você vê aparelhos sendo ligados e uma mala de cosméticos sendo deixada na cama com vários itens. Alguns que você nem imaginava que existissem.

Você se senta e entre elogios a sua aparência, ao seu corpo, se surpreende ao ser elogiada pela sua expressão, na forma que parece estar sem tensão alguma. Sorri de forma aberta e sincera, contente pelo seu corpo estar transparecendo o que está sentindo.

Ao término do trabalho, uma das atendentes entra no quarto com um vestido longo. Pedindo sua autorização, te ajudam a se produzir. Desde o vestido até a maquiagem. Fica em pé e se olha no espelho. Chega a ficar surpresa com a mulher que visualiza.

-Queria ter alguém que fizesse tudo isso por mim. Que inveja da senhora – Ouve uma delas dizer isso e sente o rosto ficar vermelho ao mesmo tempo que pensa na situação. De alguém que se preocupou com tantas coisas para te surpreender.

Elas se despedem e você passa um bom tempo se admirando no espelho. Um leve bater na porta.

Novamente o gerente, desta vez pedindo para te acompanhar. Desde até o bar do hotel e encontra o lugar relativamente cheio. Uma mesa reservada em seu nome.

Repara em volta. O som ao vivo com uma banda, pessoas bonitas, bem vestidas, mas percebe que o tom das roupas, principalmente das mulheres, é abaixo que o seu. Cores bonitas, mas o seu vestido chama muito mais atenção. Um pouco envergonhada, mas ao mesmo tempo feliz por sentir-se mais bonita que todas as outras.

Um drink servido e você aproveitando a música. O som animado, você não se contendo a balançar os pés embaixo da mesa, querendo dançar e estranhando o fato de ninguém estar dançando. Um dos cavalheiros presentes pede licença e te convida para a pista. Aceita o convite, mas fica tímida ao perceber que todos olham para você e mais ninguém divide a pista contigo.

Termina a primeira música. E logo em seguida outro convite, de outro cavalheiro. Seguindo assim pela terceira, quarta e todas as músicas seguintes. A pista sendo sua. As mulheres apenas te admirando. Os homens fazendo fila para dançar com você. O ambiente girando em torno de você.

A banda anuncia a última música. Todos os homens se afastam e apenas um se aproxima. De forma firme, olhando para você. Sorri ao reconhecer o rosto e estremece ao sentir o toque, lembrando da massagem recebida.

A música parece durar uma eternidade. Mas daquele tipo perfeita. Do tipo que você não quer que acabe. A música termina e você tem a iniciativa de roubar um beijo. Beijo com encaixe perfeito.

Beijo quente, beijo carinhoso. Beijo que parece durar horas.

Braços entrelaçados e caminham em direção a seu quarto. De frente para o espelho e seu parceiro atrás de você. Devagar tirando seu vestido, com delicadeza e sem pressa. O olhar fixo em ti, admirando cada parte do seu corpo que aparece. Mistura de olhar. Ora carinhoso, ora um olhar cheio de malícia.

Quando está só de lingerie sente seu corpo totalmente arrepiado. Excitada e sensível. Ele muda de posição e fica de frente para você, de costas para o espelho. Toques com as mãos, beijos e boca no pescoço e percorrendo teu corpo lentamente. Se delicia com o que vê e com o que sente. Sorri, geme, aperta, arranha. Sem amarras, sem receio. Entregue e sentindo a mesma entrega.

Sua calcinha e retirada e você fica ansiosa por algo que não tarda a acontecer. O toque da língua em você. Sente um prazer intenso, por estar relaxada, por todo este tempo onde a atenção é exclusiva a você. A forma como está faz com que não demore a ter um orgasmo intenso. Se não é ele se levantar e te segurar, você cairia já que sente suas pernas sem forças.

Ele te pega no colo e deita na cama. Aos poucos a roupa social é retirada. Com o olhar sempre fixo em você. Morde os lábios, admirando e feliz por ver que ele está excitado por você.

Ao ver o corpo dele nu, seu corpo reage na cama. Pernas levemente abertas, esperando pelo corpo dele. O peso dele aos poucos em cima de ti. Abraça e envolve o corpo, até sentir que são um só. Ele encaixado em você.

Se entrega e aproveita uma relação intensa. Diversas posições, intensidades distintas, mas sempre com ele no controle. Com você apenas na posição de receber prazer. De ser satisfeita, de ser realizada.

O tempo que se passa? Mais que o suficiente para uma relação plena. Adormece nos braços dele logo após acabarem de fazer amor.

Acorda de manhã procurando o corpo dele e não encontra. Apenas um bilhete. Sim, mais um bilhete. Você ri e abre o bilhete.

“Não queira estar no controle de tudo a todo momento. Ninguém deve fazer isso. Ninguém precisa fazer isso. Aceite deixar que alguém tome as decisões. Pratique um pouco do egoísmo. Às vezes permita-se querer que tudo seja para você. Que você tenha exclusividade da atenção. Desacelere para que possa aproveita a vida ao máximo. Você só tem a ganhar`....

Nenhum comentário:

Postagens populares