segunda-feira, 17 de junho de 2013

Grandes mudanças começam com pequenas atitudes

De uma forma geral, o povo brasileiro é considerado (por nós mesmos) um povo acomodado, que reclama, mas pouco faz para mudar uma situação que não lhe agrade, mesmo em assuntos que não tenham um grau de importância significativa.

Lembro que na marcha contra o ex-presidente da CBF (Ricardo Teixeira) eu estive presente no manifesto , registrando o que aconteceu, escutando opiniões e principalmente contribuindo com a minha parte, mesmo com muitos debochando ou menosprezando o ato em si.

O manifesto foi o responsável por tirar Teixeira do poder? Não, mas com certeza teve seu impacto, seu valor. O principal foi ter plantado a semente. Ter mostrado que coletivamente é possível fazer a diferença.

Os protestos que estão ocorrendo em várias cidades do Brasil não são apenas pelo aumento em si, mas pela falta de qualidade do transporte público x custo do serviço.

Junte-se a isso a indignação com má conservação e/ou falta de investimentos em escolas, hospitais e afins e você tem várias bananas de dinamite sendo colocadas lado a lado, esperando apenas o primeiro fósforo ser aceso.

Infelizmente o protesto para poder ser notado precisa trazer algum “maleficio”. Sou contra a depredação de patrimônio público e atitudes similares, mas em contrapartida repudio completamente a ação que a policia está tendo para repreender os manifestantes, agindo com rigor acima do necessário, tratando muitos com um rigor que gostaríamos que fosse utilizado no trato com criminosos de verdade, que pudessem nos dar segurança para andar nas ruas, poder curtir momentos de lazer. Poder manter nossas vidas , sair de casa sem ter receio de saber se vamos ou não conseguir voltar vivos.

Para você que vai protestar, que vai mostrar sua indignação longe da tela de um computador, faça da forma devida, tome as atitudes corretas para que o movimento seja válido, mesmo que do outro lado à repreensão seja feita de forma truculenta, o nosso lado precisa manter a razão.

Em uma discussão, se os dois lados “gritam”, ninguém tem a razão. Vamos deixar então que os que são contra o manifesto “gritem” a sua maneira e vamos manter a civilidade, para mostrar que estamos certos, temos argumentos e merecemos ser ouvidos. Mostrar que mudanças precisam ocorrer, mas da forma correta.

Faça sua parte. Por você, por seus filhos e por seus netos.

Faça sua parte, simplesmente para que você possa olhar para trás e saber que mesmo que nada mude, você fez o que estava ao seu alcance.

Nenhum comentário:

Postagens populares